Como deixar o Lightroom mais rápido

Lightroom lento e travando? Aprenda agora como deixar seu Lightroom mais rápido

Você está sentindo o Adobe Lightroom lento e não sabe o que fazer?

O Lightroom é o principal programa de edição de fotos e muitos fotógrafos reclamam que ele fica lento.

Mas porque o Lightroom fica lento? Bom, porque ele as vezes é rápido e as vezes lento?

Preparamos um conteúdo com todas as possíveis soluções pra deixar seu Lightroom mais rápido.

Uma a uma, analise tudo que for possível de fazer pra deixar o Lightroom rápido, um Lightroom bem mais rápido.

O que é o Lightroom?

O Adobe Photoshop Lightroom Classic é um programa de edição e tratamento de fotografias, desenvolvido pra fotógrafos profissionais que desejam melhorar e facilitar o tratamento das suas fotos.

No dia 9 de janeiro de 2006, a Adobe anunciou o lançamento do Lightroom, depois conhecido com Adobe Photoshop Lightroom.

Em seu lançamento, muitos diziam que ele seria apenas um sucessor do famoso Câmera RAW, o software da Adobe que faz a leitura do arquivo RAW para o Photoshop.

Com a crescente do Lightroom, muitos deixaram de utilizar o Câmera RAW e fizeram do Lightroom seu principal sistema de edição e tratamento de fotos.

O Lightroom é dividido em vários módulos. Alguns desses módulos são usados com muita frequência, como o módulo de Biblioteca ou o módulo de Revelação. Já outros módulos raramente são usados, como o módulo Mapa ou o Módulo Web.

Como o Lightroom funciona?

O Lightroom é um programa dividido em módulos, ou seja, você pode trabalhar com um ou mais partes do software.

– Módulo Biblioteca – Serve pra organizar suas fotos. É nesse módulo que você importa as fotos do cartão de memória ou direto da sua câmera para os Hd´s de armazenamento. É um módulo muito importante do Lightroom e ele sempre deve estar ativo em seu sistema.

– Módulo Revelação – Serve pra fazer o tratamento (muitas pessoas chamam de edição) das suas fotos. É no módulo revelação que você muda as cores das fotos, remove objetos, altera tamanhos e as principais características das suas imagens. Esse módulo sempre deve estar ativo no seu sistema.

– Módulo Mapa – Serve pra criar um mapa geográfico de onde suas fotos foram tiradas. Pra isso, basta ativar o GPS da sua câmera fotográfica e o Lightroom reconhece automaticamente a localização da foto. Excelente pra fotógrafos de paisagem. Esse módulo pode ser deixado inativo no seu sistema e você pode ativar ele quando precisar.

– Módulo Apresentação de Slides – Serve pra criar slides com suas fotos. É um sistema bem limitado, nada convidativo pra usar. Esse módulo pode ser deixado inativo no seu sistema e você pode ativar ele quando precisar.

– Módulo Imprimir – Serve pra fazer sua impressão diretamente do Lightroom. Utilizado por algumas encadernadoras nos Estados Unidos, esse módulo permite que você crie perfis de impressão no Lightroom e envie diretamente pra encadernadora. No Brasil essa opção não é utilizada por nenhuma grande encadernadora de álbuns. Esse módulo pode ser deixado inativo no seu sistema e você pode ativar ele quando precisar.

– Módulo Web – Serve para criar uma galeria de fotos pra enviar direto para seu site e divulgar suas fotos. Existem plugins do WordPress que automatizam o recebimento dessas fotos e lançam ela no seu site. Porém essa opção não é muito utilizada por causa das limitações na hora de exportar as fotos. Esse módulo pode ser deixado inativo no seu sistema e você pode ativar ele quando precisar.

Porque o Lightroom fica lento?

Uma das perguntas mais interessantes que recebo é essa. Vários fotógrafos já me perguntara porque o Lightroom sempre fica lento depois de um tempo de uso?

Bom, alguns vão além e perguntam porque o computador sempre fica lento depois que compramos, mesmo instalando o mínimo de programas possíveis e sempre usando ele apenas de forma profissional?

Então, precisamos primeiro entender como funciona o processamento do sistema, e que existem muitas variáveis que influenciam na velocidade e no desempenho do processamento das informações.

A primeira é que sempre que instalamos um programa em nosso computador, independente do programa, ele vem “puro”, “limpo”, com suas configurações pré-definidas para um computador que nós chamamos de padrão, ou seja, um bom computador escolhido pelo criador do sistema operacional.

A segunda é que ao começar a utilizar um programa, nós sempre o configuramos do nosso jeito, e que em algumas vezes essas alterações na configuração podem deixar o computador bem lento.

Me lembro quando meus pais compraram nosso primeiro computador, um Intel Celeron com Windows 95, e minhas irmãs faziam questão de deixar o fundo de tela com uma foto super pesada, além de deixar o rastro do mouse e proteções de tela que quase não rodavam por causa do processador do computador.

E todas as vezes que o técnico em informática ia em nossa casa ele desabilitava tudo isso, porque alegava que o computador ficava mais lento.

Bom, no Lightroom também é assim, só que existem mais fatores que influenciam no processamento.

Um exemplo simples são fotógrafos que mantém em um único catálogo todos os trabalhos já fotografados.

O catálogo fica tão grande que a busca por informações no catálogo é mais lenta, causando mais demora no processamento.

Bom, resumindo: Se manter o Lightroom “redondinho” ele é rápido, mas se ficar alterando suas configurações e deixando arquivos desnecessários nele, aí o Lightroom ficará mais lento; bem mais lento.

Só lembrando que se você quer ler o artigo de como ganhar dinheiro fotografando ou como ganhar dinheiro com fotografia é só clicar no menu artigos.

No texto abaixo, você fotógrafo encontrará diversas dicas pra deixar o seu Lightroom mais rápido.

Aconselho a testar uma a uma. Pode ser que utilizando apenas uma o seu Lightroom fique mais rápido.

Lembramos que as vezes essa não é a solução definitiva, e que se o seu computador for mais antigo ou com uma configuração inferior, pode ser que os resultados não sejam tão satisfatórios.

Mas vale a pena tentar. Eu já testei todas essas configurações e mudanças, e tive um ótimo resultado nos meus notebooks e nos meus dois computadores de edição.

Seu Lightrom está lento? O que fazer para deixar o Lightroom mais rápido agora!

1. Aumente o tamanho do cache

A memória Cache (pronuncia-se cash) é uma memória ativa, ou seja, ela só funciona quando seu computador está ligado.

Uma das principais características da memória Cache é que ela trabalha em conjunto com o processador do seu computador.

A função dela é aumentar o desempenho do seu processador.

Por padrão, a Adobe deixa o Lightroom com a memória Cache de 1GB de espaço de armazenamento, mas esse espaço pode ser aumentado facilmente.

Quanto maior o espaço de armazenamento ativo da memória Cache, menos o Lightroom exigira do seu processador, deixando o sistema mais fluido.

Nosso conselho é deixar com no mínimo 8GB de espaço pra memória Cache, melhorando o processamento dos dados.

Caso você tenha muita memória em seu computador, você pode até aumentar esse número. Porém em nossos testes não constatamos nenhuma diferença em valores superiores a 8GB.

Após aplicar essa mudança, aconselhamos você a reiniciar o Lightroom e o seu sistema operacional.

Notamos que em alguns computadores, a aplicação só deu um efeito de melhoria depois da reinicialização geral de todo o sistema.

Pra marcar ou desmarcar essa opção siga os passos abaixo:
– Entre no módulo Biblioteca ou Revelação
– Clique em Editar
– Clique em Preferências
– Clique na aba Tratamento de arquivos
– Na área Configurações de Cache, defina o tamanho da memória que você deseja usar.

2. Armazene o cache em um HD SSD

O Cache é um tipo de memória, que pode ser salvo em um HD, assim se você salvar esse Cache em um HD SSD ou em um HD M2 o acesso a esse arquivo será muito mais rápido, melhorando significativamente a velocidade do processamento desse arquivo.

Alterar o local de armazenamento do Cache é simples, tudo é feito com o mouse dentro do próprio Lightroom e você não precisa copiar nem colocar nenhum arquivo. O próprio Lightroom faz a organização do arquivo.

Pra armazenar o cache em um HD SSD siga os passos abaixo:
– Entre no módulo Biblioteca ou Revelação
– Clique em Editar
– Clique em Preferências
– Clique na Guia Tratamento dos arquivos
– Na área de Configurações do Cache, clique em Escolher, navegue até uma pasta segura dentro do seu HD SSD e clique em guardar o cache.

3. Limpe a memória cache (com cuidado)

A memória cache tem a função de ajudar o processador a executar suas tarefas com mais velocidade de processamento, com isso ela “absorve” algumas informações que facilitarão o trabalho do processador do seu computador.

Mas a essa “absorção” de arquivos também gera um “peso” na hora da execução de algumas tarefas, principalmente se a memória do seu computador é mais antiga.

Assim, você pode limpar a memória cache do seu computador.

Mas pra isso ter um resultado melhor, execute essa limpeza no inicio ou na finalização de um trabalho, como antes de criar um catálogo ou após a finalização de um trabalho antes de iniciar outro.

Sentimos uma pequena memória no processamento quando executamos essa limpeza em nossos computadores de edição, porém em alguns de nossos notebooks essa limpeza não fez nenhuma diferença.

Atenção: Essa opção só deve ser utilizada quando ocorrer problemas recorrentes de travamento no Lightroom.

Aproveitando que você está lendo esse artigo, clique aqui e conheça nossos cursos de fotografia para fotógrafos.

4. Use o processador gráfico

Essa é sem dúvida uma das principais dicas desse post, porque o Lightroom agora permite configurar o processamento gráfico das imagens diretamente nele, deixando você escolher entre utilizar ou não o processamento gráfico do seu computador.

Esse processamento gráfico é utilizado dentro do Lightroom em todo o módulo Revelação e no módulo Biblioteca quando a exibição em grade é ativada, a exibição em lupa ou na tira de filme.

O processamento gráfico também é utilizado n Lightroom pra melhorar o desempenho de velocidade na exibição em monitores 4k e 5k.

Se você tem uma boa placa de vídeo, você pode deixar que o Lightroom utilize diretamente o processamento da sua placa pra melhorar o desempenho de visualização das imagens, acelerando a resposta no processamento dos arquivos.

Essa função é recomendada apenas pra computadores que possuem uma placa de vídeo dedicada, pois não alterará o desempenho do seu computador por causa da placa de de vídeo principal.

Vale lembrar que essa opção só tem um efeito real se sua placa de vídeo for compatível com o Lightroom.

Caso você não tenha uma placa de vídeo, é necessário fazer um teste pra ver se o seu Lightroom ficará mais rápido ou mais lento com a opção marcada.

Pra testes, nós só temos um notebook em nosso estúdio que não tem placa de vídeo, mas a velocidade de visualização das imagens é tão ruim que pra nós não houve nenhuma diferença; marcada ou desmarcada a opção, o computador continuava lento.

É importante lembrar que em alguns computadores não existe a opção de marcar ou desmarcar. Nesse caso o Lightroom não encontrou um processamento de imagens externo, ou seja, todo o processamento das imagens é feito direto no processador principal do computador.

Outra coisa interessante é que o Lightroom não utiliza duas placas de vídeo ao mesmo tempo, ou seja, caso seu computador possua duas placas de vídeo, a configuração será determinada apenas por uma placa.

O próprio suporte da Adobe aconselha que se utilize apenas uma placa de vídeo, pois isso pode causar muitos conflitos. É melhor ter uma excelente placa de vídeo do que duas placas medianas.

Pra marcar ou desmarcar essa opção siga os passos abaixo:
– Entre no módulo Biblioteca ou Revelação
– Clique em Editar
– Clique em preferências
– Na nova janela, clique na aba Desempenho
– Escolha entre “Automático, “Personalizado” ou “Desativado” (Aconselhamos a deixar em automático)
– Clique em Ok
– Aconselhamos a reiniciar o Lightroom pra que o sistema tenha a opção carregada na inicialização.

5. Faça otimização do catálogo

O Catálogo do Lightroom é um arquivo (muito importante) onde todas as informações das suas fotos estão gravadas; esse é o arquivo (.lrcat). Nós acreditamos que esse é o arquivo mais importante do Lightroom.

Quando esse arquivo está com desempenho lento ele deixa o Lightroom lento também, sendo necessário a reorganização desse arquivo dentro do Lightroom, o que nós chamamos de otimização.

Você sabe que o Lightroom não altera a sua foto original, não é mesmo.

O que o Lightroom faz é criar uma imagem virtual da suas fotos e salvar todas as alterações que você faz sobre a imagem, ou seja, cada vez que você muda qualquer coisa na foto ele automaticamente salva essa alteração no catálogo.

Por isso, quanto mais imagens você tiver no catálogo e mais alterações você fizer sobre as imagens, mais pesado será o seu catálogo.

Alguns catálogos ficam abertos no Lightroom por poucas horas, outros ficam abertos por meses.

Mas em todos os casos a otimização do catálogo no Lightroom é recomendada.

Otimizar o catálogo nada mais é do que organizar ele de forma automática; nesse caso o Lightroom vai apagar todas as informações desnecessárias e atualizar as alterações que foram feitas, colocando as informações no catálogo em ordem.

Você pode tentar entender um catálogo do Lightroom como uma grande biblioteca, cheia de corredores com muitas prateleiras e livros. Se você separar os livros por assuntos e dentro dos assuntos separar cada um em ordem alfabética ficará mais fácil encontrar o livro que você procura.

A otimização do catálogo do Lightroom é isso: Ele coloca as informações me ordem.

Dependendo do tamanho do seu catálogo essa otimização pode demorar alguns minutos.

Aqui no estúdio, como trabalhamos com catálogos pequenos nossa otimização sempre dura menos de 15 segundos.

Pra marcar ou desmarcar essa opção siga os passos abaixo:
– Entre no módulo Biblioteca ou Revelação
– Clique em Arquivo
– Clique em Otimizar Catálogo

Outra maneira de sempre otimizar o seu catálogo é deixar a opção de backup ativa ao sair do Lightroom. Naquela janelinha onde o Lightroom pergunta se você deseja fazer backup (clique Back-up sempre) tem a opção de otimizar o catálogo ao sair. Se você deixar essa opção marcada, ao fazer o backup ele automaticamente fará a otimização do seu catálogo e quando você abrir o Lightroom novamente seu catálogo já estará otimizado.

6. Use catálogos menores no Lightroom

Em minha consultoria pra fotógrafos eu já encontrei profissionais que utilizavam o mesmo catálogo há mais de 3 anos.

E em testes rápidos com eles eu mostro que quando se trabalha com catálogos menores o processamento dos dados é muito superior, pois existe menos informação para se buscar no banco de dados.

Alguns fotógrafos criam um catálogo por evento e isso é bom.

Mas existem casos que criar um catálogo para cada evento torna o fluxo de trabalho mais lento.

Eu me coloco como exemplo: Na verdade eu fotografo tudo, embora tenha um reconhecimento em uma ou duas áreas na fotografia, eu sou contratado pra fotografar vários tipos de eventos.

Pra mim, fica inviável criar um catálogo por evento, então eu vou criando catálogos de tempos em tempos.

Normalmente meu catálogo dura uns 3 meses, mas existem casos que ele durou quase 6.

Pra mim, esse tempo não é tão importante pois na verdade eu tenho que estar atento à informação que tem dentro do catálogo.

Como faço a entrega das fotos em um tempo menor, eu tenho a possibilidade de apagar os arquivos do catálogo mais rápido, deixando menos informação nele.

De 2020 pra 2021 eu virei o ano sem nenhum trabalho pendente no Lightroom, tudo estava entregue. Então apaguei todos os arquivos e criei um catálogo novo.

Trabalhando assim eu nunca tive problema. Mas você pode se perguntar aí se precisar reeditar uma fotografia. Bom, no meu trabalho eu nunca precisei e sempre após a entrega eu confirmo com o cliente se as fotos estão ok e aviso que elas sairão do programa de edição de fotos.

Lembrando, esse é o método que eu uso e nunca tive nenhum problema com isso

7. Limpe a biblioteca do Lightroom

As veze você não pode criar um catálogo novo pois existem fotos pendentes de escolha, edição ou tratamento no Lightroom.

Uma alternativa é fazer uma limpeza dentro da Biblioteca do Lightroom.

E entenda que essa limpeza é apagar os arquivos no catálogo.

Atenção: Só faça esse procedimento se tiver certeza que não precisará mais das fotos

Para fazer a limpeza na biblioteca siga os passos abaixo:
– No módulo biblioteca
– Clique na opção Pastas
– Clique com o botão direito sobre a pasta dos trabalhos já entregues
– Clique em Remover
– Na próxima janela que abrir, clique em Remover

8. Defina o local de armazenamento do catálogo

O catálogo nada mais é do que um arquivo de banco de dados com todas as informações sobre os arquivos que foram importados para o Lightroom.

Por ser um arquivo de banco de dados, ele toda hora é acessado pelo Lightroom, que busca informações de cada alteração que você faz nas imagens.

Cada vez que você edita uma foto, cria uma seleção, um rótulo, apaga, duplica ou faz qualquer tratamento na imagem o Lightroom guarda essa informação no catálogo.

Por padrão, esse arquivo fica armazenado em uma pasta do seu sistema operacional.

Ao abrir o Lightroom pela primeira vez ele cria o catálogo e o salva no endereço padrão:

Windows: \Users\[nome do usuário]\Pictures\Lightroom
MAC: /Users/[nome do usuário]/Pictures/Lightroom
Nós aconselhamos deixar o arquivo do catálogos sempre no mesmo HD do sistema operacional, pois na maioria das vezes esse é o HD mais rápido do seu computador.

Porém algumas pessoas mudam o local de armazenamento do catálogo na hora de criar o arquivo.

Se você quer mudar a localização do catálogo, basta seguir os passos abaixo:
– Abra o Lightroom
– Clique no menu editar
– Clique em Configurações do Catálogo
– Clique em Informações
– Encontre o arquivo, copie ele e cole no destino.

Atenção: Não faça isso caso não entenda o que estiver sendo feito.

9. Faça visualização 1:1 dos arquivos

As visualizações são opções que o Lightroom dá para nós fotógrafos visualizarmos as miniaturas das fotos dentro do aplicativo.

Essa visualização é feita dentro do módulo de Biblioteca na exibição em grade, em lupa, no módulo de revelação e nos módulos de apresentação de Slides, no módulo impressão e também no módulo web.

Esses três últimos módulos acima quase não são utilizados por nós.

Ao importar as fotos do cartão de memória para o Lightroom, ele cria uma visualização. Essa será criada pela predefinição do fotógrafo.

Assim, se você não escolher qual visualização criar, ele criará igual a última importação.

Existem 4 tipos de visualizações dentro do Lightroom:

Visualização Mínima – A visualização mínima dentro do Lightroom é quando ele apresenta a imagem JPG em tamanho pequeno, aproveitando o mínimo da resolução da imagem.

Visualização Padrão – A visualização padrão utiliza a mesma visualização do Camera Raw. A visualização padrão é feita rapidamente pelo programa e é ideal para monitores com resoluções intermediárias.

Visualização Incorporada – A visualização incorporada é ideal para monitores maiores, demoram um pouco mais para serem criadas e são uma ótima opção pra quem fotografa em RAW e precisam de editar as fotos rapidamente.

Visualização 1:1 – A visualização 1:1 pra mim é a melhor opção pra quem gosta de tratar as fotos com excelência. Quando é feita, a visualização 1:1 deixa o tratamento da foto muito mais rápido, pois cria gera visualização com o máximo de informações possíveis. Essa é a visualização que mais demora a ser feita.

Pra fotógrafos que geram uma grande quantidade de fotos, a visualização 1:1 pode demorar muito, principalmente se seu computador for um pouco mais antigo.

Nesses casos, você pode fazer a visualização 1:1 durante a noite, pois esse processo é lento.

Porém, quando termina, deixa a visualização das imagens muito mais agradável.

Você pode criar a visualização 1:1 no Lightroom de duas maneiras:

1º Modo de criar a visualização 1:1 (na importação das fotos
– Abra o Lightroom
– Clique no módulo biblioteca
– Escolha os arquivos a serem importados
– Escolha o destino da importação das fotos
– Clique em “Visualizações 1:1 no lado direito da tela, no alto

2º Modo de criar a visualização 1:1 (com as fotos dentro do Lightroom)
– Abra o Lightroom
– Clique no módulo biblioteca
– Selecione a pasta onde estão as fotos ou as fotos
– Clique no Menu Biblioteca
– Clique em Visualizações
– Clique em Criar visualizações 1:1

10. Apague todas as vizualizações do catálogo

Essa é uma opção pra quem procura uma solução, caso tenha feito de tudo e o Lightroom continua lento.

As visualizações são criadas e armazenadas no arquivo.

Com o tempo o Lightroom apaga essas visualizações e os arquivos ficam mais lentos.

Assim, se você tem arquivos mais antigos no seu catálogo, o correto é apagá-los ou apagar suas visualizações.

Caso tenha que trabalhar nessa foto novamente você pode criar uma nova visualização 1:1 pra ela.

11. ARMAZENE O CACHE JUNTO AO CATÁLOGO
O Lightroom vem com o armazenamento padrão do Cache de exibição (Previews.lrdata) salvos na mesma pata do catálogo ativo.

Porém alguns fotógrafos (eu confesso que não entendo porque alguém faz isso) mudam o local de armazenamento do Cache.

Mantenha o padrão do Lightroom e deixe os dois arquivos sempre juntos.

Caso você tenha que mover o catálogo de lugar, leve também o arquivo do Cache.

11. Evite importar imagens duplicadas

Na hora da importação das suas fotos pro Lightroom você tem a opção de evitar que o Lightroom importe fotos duplicadas.

Bom, essa é uma opção que tem que ser muito testada, pois em alguns dos nossos testes ele não importou todas as fotos do trabalho.

Pra que o Lightroom entenda a duplicação dos arquivos, você precisa primeiro ter os arquivos armazenados em seu hd.

Essa opção não faz nenhum sentido caso você sempre fotografe com cartões formatados.

Alguns fotógrafos costumam não formatar o cartão de memória entre um trabalho e outro, deixando arquivos dento do cartão.

Logo, na hora da importação das fotos, caso você habilite essa opção o Lightroom vai tentar comparar os arquivos do seu cartão de memória com os arquivos que estão no seu catálogo.

Caso tenha arquivos duplicados o Lightroom não fará a importação desses arquivos.

Bom, agora a minha opinião: Melhor que utilizar essa opção no Lightroom é sempre trabalhar com um cartão de memória formatado, não correndo nenhum risco de perder arquivos ou de ter arquivos duplicados no seu catálogo.

12. Desative as dicas de ferramentas

Parece uma simples dica, mas que tem grande valor quando se fala em produtividade e gestão de tempo no Lightroom no módulo revelação.

Sempre que estiver trabalhando no Lightroom, opte por desativar as ferramentas que ocupam espaço em sua tela, e que com isso necessitam de usar o processamento do seu computador.

Um exemplo clássico é o histograma, que fica do lado direito da tela tanto no módulo Biblioteca quanto no módulo Revelação.

A cada vez que você clica em uma imagem o Lightroom processa essa informação buscando no catálogo os dados da foto e expondo na tela.

Cada ferramenta que você não usa é um processamento a menos que você exige do processador, da memória e do Lightroom.

13. Otimize a visualização para o tamanho do monitor

Você já entendeu que as visualizações são importantíssimas quando se fala de produtividade no Lightroom, correto.

E tão importante quanto usá-las e saber aplicar elas.

Em poucas palavras: Se seu monitor for pequeno ou médio, use a Visualização Padrão ou a Visualização Incorporada.

Se seu monitor for grande, utilize sempre a Visualização 1:1.

E se estiver se perguntando aí porque o texto se refere ao tamanho do monitor e não a resolução ?

Simples, porque é difícil utilizar configurações maiores como 800×600 em monitores maiores.

Então, pra facilitar o entendimento do fotógrafo nós criamos essa regra simples.

14. Mantenha o Lightroom atualizado

Parece até brincadeira dizer isso, mas muitas pessoas utilizam versões antigas do Lightroom e querem ter a mesma performance da versão mais atualizada.

A cada versão a Adobe vem implementando novas ferramentas mas também atualizando os famosos “bugs” que são erros do sistema.

Nas versões antigas essas correções não são validadas, pois o Lightroom está com seus principais arquivos “parados no tempo”.

Se você utiliza a versão paga do Lightroom é só acessar a Adobe Creative Cloud e deixar a opção “Atualização automática” ativada.

Você também pode fazer a atualização de modo manual.

Para atualizar o Lightroom manualmente siga os passos abaixo:
– Clique em Ajuda
– Clique em Verificar atualizações

15. Desative a gravação automática do XMP

O XMP é um tipo de arquivo de metadados usado nos programas da Adobe para salvar suas alterações.

Esses metadados são informações como título, legenda, palavras chave e algumas alterações visuais como correção de olhos vermelhos ou nitidez.

Todos esses metadados são salvos junto aos arquivos das imagens.

Pra ver como eles são salvos, basta editar uma foto e salvá-la como arquivo original em alguma pasta do seu computador.

Você verá que junto da foto salva tem um arquivo referente a imagem. Esse é o arquivo XMP da imagem.

Essa configuração de gravação automática é muito utilizada por fotógrafos que utilizam muito o Lightroom e o Photoshop pra editar e tratar suas fotos, e essa utilização é simultânea.

Caso você utilize somente o Lightroom e raramente utilize o Photoshop, você pode desabilitar essa função dentro do Lightroom.

Em nota, a Adobe declara em seu site oficial de suporte que: “Salvar modificações automaticamente no XMP podem degradar significativamente o desempenho do Lightroom, contudo se você não trabalha com múltiplos aplicativos considere desativar a preferência da autogravação.

Nos fizemos um teste em um único catálogo durante o processo de edição, deixamos a gravação do XMP ativada, editamos 400 fotos e notamos que em vários momentos o mouse não respondia da forma que deveria, pois o processamento do Lightroom estava mais lento.

Para desativar a gravação automática do XMP, siga os passos abaixo:
– Entre no Lightroom
– Entre no módulo Biblioteca ou Revelação
– Clique em Editar
– Clique em configurações do catálogo
– Clique na guia Metadados
– Desmarque a opção Gravar automaticamente modificações em XMP

16. Use a visualização inteligente

A visualização inteligente é muito utilizada por fotógrafos que precisam levar consigo seu catálogo para tratar suas fotos em outro computador ou compartilhar esse arquivo para que alguém faça esse trabalho.

Nada mais é do que fazer uma “cópia” do catálogo e só carregar as informações mais importantes, e depois, em um futuro próximo, juntar as partes do catálogo em um catálogo só.

Quando você faz isso, a “cópia” fica muito mais leve, pois o Lightroom carrega apenas uma parte do arquivo para a visualização.

Eu, raramente utilizo a visualização inteligente, pois nunca senti necessidade.

Porém é interessante entender que, esse tipo de visualização gera uma produtividade muito alta no tratamento das fotos, pois o arquivo DND com perda é muito menor e mais leve.

Vale lembrar que, depois de utilizar a visualização inteligente você tem que “juntar” as partes para que o Lightroom crie um sincronismo com todas as informações e os arquivos voltem a ter sua resolução normal.

Caso você tenha um computador mais antigo, aconselhamos o uso da visualização inteligente.

Não cabe nesse post ensinar como se aplica a visualização inteligente no Lightroom. Pra isso preparamos um outro post completo e exclusivo pra fotógrafos que querem aprender a usar a visualização inteligente.

17. Reduza o número de presets

É preciso entender que uma predefinição (preset) é um arquivo que, se usado de maneira errada, ao invés de ajudar na produtividade ele pode deixar o seu computador ainda mais lento.

Muito comum, os presets de tratamento de fotos estão disponíveis em grande escala pela internet, e mais comum são fotógrafos baixando centenas de presets que nunca serão utilizados.

Não posso dizer que eu nunca tenha feito isso… rs

Quando comecei a fotografar eu me orgulhava de ter mais de 200 presets salvos em meu Lightroom, porém utilizava apenas 3. Bom, e depois de alguns anos são esses 3 que eu tenho comigo até hoje.

Presets arquivados dentro do Lightroom não só ocupam um lugar visual na sua caixa de ferramentas, como também são carregados com os arquivos de inicialização do sistema, deixando o Lightroom mais lento.

Calma aí, você não precisa sair apagando todos os presets. Deixe apenas os que você realmente usa.

Nós temos aqui na FLUXOPRO os melhores presets para Lightroom.

Clique aqui e veja todos nossos presets profissionais.

18. Aplique nitidez só na exportação

O processo de aplicação de nitidez na imagem altera completamente a estrutura dos pixels da foto.

Fazendo isso durante o trabalho diário no Lightroom você exigirá mais processamento do seu computador a cada foto, perdendo um tempo muito grande de uma fotografia pra outra.

Pra agilizar esse processo você pode aplicar a nitidez de saída na hora de exportar suas fotos, no final do tratamento.

Assim, junto ao processo de exportação das fotos o Lightroom aplicará a nitidez sobre a imagem, não tendo que alterar os pixels dentro do processo de tratamento.

19. Utilize HD SSD ou M2

Sabe-se que quanto mais moderno é o equipamento melhor o seu desempenho, ou seja, mais rápido ele é.

Investimos dezenas de centenas de reais em busca de HD´s cada vez mais rápidos e mais estáveis, e encontramos os SSD´s e os M2.

Esses HD´s são mais rápidos e modernos que os antigos Hd´s de discos tradicionais.

Fabricantes como Samsung e Seagate deixam em seus sites testes de velocidade mostrando a incrível superioridade dos novos Hd´s em relação aos antigos formatos.

Então, se você procura um desempenho melhor, utilize equipamentos mais modernos em seu computador.

Nossa mensagem é sobre HD´S mas você pode ter esse entendimento para memórias, cabos e todos os acessórios que influenciam de forma direta na velocidade de processamento do Lightroom no seu computador.

20. Entenda o processo das ferramentas

Algumas ferramentas do Lightroom não estão configuradas dentro do sistema para serem executadas com excesso.

Um exemplo claro é a ferramenta de remoção de manchas. O uso excessivo dela deixa o processamento do Lightroom muito mais lento, devido a recolocação dos pixels dentro da imagem, causando um sobre carregamento do sistema.

Não é que você não possa utilizar essa ferramenta, mas ela é uma das ferramentas que, se usada demais deixa o seu Lightroom muito mais lento.

Na verdade, todas as ferramentas que atuam como correção pontuais deixam o Lightroom mais lento se usadas em excesso.

Então, se você precisa manipular muito uma imagem, faça essa manipulação mais agressiva no Photoshop.

A própria Adobe aconselha que: “Se sua imagem contiver muitos (centenas) de ajustes localizados, considere usar um aplicativo de edição com base em pixels, como o Photoshop, para tal nível de correção”.

Bom, errada ela não está. Precisamos entender o princípio do Lightroom e sua real finalidade.

O Lightroom não é um programa de manipulação de imagens e sim de organização e tratamento.

Agora, caso você faça alterações nas suas fotos com os ajustes pontuais, utilize a seguinte ordem:
1º Remoção de manchas
2º Correção geométrica (perfis, lentes, linha do horizonte)
3º Correções locais (filtro gradiente, pincéis)
4º Detalhes (redução de ruído e nitidez)

Nessa ordem você pode fazer suas alterações e evitar que o Lightroom fique mais lento.

Note que a redução de ruído e o aumento da nitidez ficam por último, pois alteram toda a estrutura da foto.

21. Mantenha o disco rígido preservado

O Lightroom e todos seu arquivos são armazenados em um disco rígido.

Você já sabe que quanto mais velocidade esse disco tem, mais rápido é o processamento do Lightroom.

Com esse entendimento, procure deixar o HD do seu computador sempre preservado, evitando instalar programas e jogos desnecessários.

Existem também muitas ferramentas disponíveis que organizam melhor as informações dento do HD, mas nada substitui a velha e boa faxina.

Verifique nas pastas de Download, Imagens e Vídeos se não tem arquivos que não precisariam mais estar ali.

Verifique nas configurações do sistema se existem programas que não são mais utilizados e que poderiam ser apagados.

E quando for utilizar alguma ferramenta pra organização do seu sistema operacional, dê preferência para as ferramentas padrão do próprio sistema.

22. Desative o reconhecimento de rosto

O reconhecimento facial do Lightroom é uma ferramenta maravilhosa pra quem fotografa grandes grupos de pessoas, como fotógrafos de formatura, por exemplo.

Mas é uma péssima ferramenta pra quem faz ensaios ou produtos, não pela qualidade da ferramenta, mas porque ela deixa o Ligtroom muito lento.

Em nossos testes aqui no laboratório FLUXOPRO constatamos que a ferramenta de detecção de faces é a que deixa o Lightroom mais lento entre todas as ferramentas disponíveis.

Por isso, evite utilizar a ferramenta, deixando ela desmarcada na sua configuração padrão.

23. Mantenha o computador atualizado

Por último e não menos importante: Mantenha seu computador sempre atualizado.

Muitos fotógrafos ignoram as atualizações dos sistemas operacionais, achando que o computador fica mais lento ou que tais atualizações não são necessárias.

Um dia em uma mentoria em uma loja de fotografia, constatei que todos os computadores não passavam por uma simples manutenção preventiva há mais de 2 anos.

Uma das melhores máquinas da loja estava desligada e encostada no estoque porque travava muito e não adiantava “formatar”.

Um dos funcionários abriu a máquina e por incrível que pareça ela não tinha nenhum ventilador de refrigeração, e que os barramentos da memória estavam completamente sujos.

Problemas assim são muito mais comuns do que pensamos.

Precisamos atualizar não só a parte física de nossos computadores mas também todos os softwares.

Um software atualizado produz um desempenho superior, além de ser mais seguro ter um programa assim.

Caso você não entenda muito de computador, procure um técnico de confiança e faça dele seu parceiro comercial.

Caso você não esteja ganhando dinheiro na fotografia o suficiente para comprar um bom computador, clique aqui.

Perguntas frequentes:

O que fazer quando o Lightroom não quer importar?

A maiora das vezes que o Lightroom não importa é porque não há conexão entre o cartão de memória e o Lightroom. Verifique se o cartão é lido pelo sistema operacional. Caso não consiga solucionar o problema, você pode entrar em contato direto com o suporte da Adobe. Lembrando que o suporte é somente para assinantes.

Lightroom para pc fraco?

Infelizmente você terá que investir em um bom computador para rodar o Lightroom. Porém na hora de investir no pc lembre-se que o Lightroom utiliza muita memória ram, ou seja, invista em uma memória de boa marca e qualidade.

Como limpar o armazenamento do Lightroom?

A melhor maneira de limpar os arquivos desnecessários do Lightroom é excluindo os arquivos direto do sistema operacional, nas pastas de armazenamento. Antes, certifique-se que não há arquivos para serem editados e que você tenha backup dos arquivos.

Nosso ponto de vista

Muitos fotógrafos reclamam que o Lightroom está lento, e que demoram horas e horas para o programa gerar as visualizações. Por isso é importante você cuidar do Lightroom como você cuida do seu computador, atualizando e mantendo ele sempre em dia. Siga cada dica desse artigo e se você quer ganhar dinheiro na fotografia é só clicar aqui.

📸 Por Bruno Guedes | Fotógrafo e gestor do FLUXOPRO
Ajudando fotógrafos a ganharem mais dinheiro na fotografia

www.fluxopro.com