3 erros que os fotógrafos cometem no início de carreira

Hoje falarei 3 erros que os fotógrafos cometem no princípio de carreira e que atrapalha no seu desenvolvimento profissional e, por incrível que pareça, muitos fotógrafos com grande tempo determinado nessa área, nos dias atuais, continuam com esses erros.

Salve, salve fotógrafo, tudo bem? Bruno Guedes aqui, o seu amigo fotógrafo.

Sou um cara apaixonado pela fotografia, mas eu também sou gestor do meu negócio.

Só para te explicar um pouquinho sobre o meu posicionamento de gestão, contenho duas empresas de fotografia.

Uma empresa é focada em fotografia de produtos e ecormes no qual fotografo para serem vendidos na internet, juntamente são gravados.

Já a outra, é empresa de fotografia de pessoas, o Bruno Guedes Fotógrafo que sou eu.

A minha empresa de fotografia de imóveis há uma marca, conceito, logomarca e site definidos, tudo separado.

Na minha empresa de fotografia de pessoas, eu levo o meu nome, vulgo o Bruno Guedes Fotógrafo.

Me apresento como uma pessoa física, embora também seja uma pessoa jurídica, tá bom?

Separo muito bem isso. Por ter um negócio muito bem estruturado e começar a divulgar meu trabalho na internet, conhecer outros fotógrafos em diversos workshops, palestras e eventos que participo, encontrei-os com níveis diversificados.

Desde o fotógrafo que está pensando em comprar uma câmera até o cara que tem 20 anos de mercado fotográfico e simplesmente deu uma estagnada.

Lançando o FLUXOPRO, conversando com os alunos e fotógrafos que tem entrado em contato comigo para tirar suas dúvidas, saber as vantagens e desvantagens de tal equipamento ou funcionamento, qual rede social, tenho aprendido algumas coisas com eles.

Mas apresento algumas conclusões que tirei em todas as minhas conversas e dividi para nós 3 erros que os fotógrafos iniciantes cometem.

Na verdade, separei-os porque na minha mente está assim “Cara, são três erros simples, porém tenho encontrado fotógrafos com muitos anos de mercado que continuam a fazê-los”.

Vou te explicar um a um e nós vamos conversar sobre eles.

Primeiro erro (erro gravíssimo): não ouvir o cliente. Muitos fotógrafos acham que por saber fotografar, por ter suas referências e por ter algum tipo de experiência no mercado fotográfico acham que não tem necessidade de ouvir o cliente.

Por que é um grande erro? Porque o nosso cliente é quem manda no nosso negócio, é ele quem define o que quer comprar.

Só instruímos enquanto ele define a compra, nosso estado no mercado, comenta bem ou mal de nós.

Ouvir o cliente é uma obrigação do fotógrafo. O que fazer para escutá-lo? Através de feedback, de um contato, durante o ensaio, no atendimento.

Ouvir o cliente é fundamental, é vital para o seu sucesso dentro na fotografia.

Então se você não escuta seu cliente, passe a escutá-lo e anotar aquilo que comentam ao seu respeito, anotar os detalhes de suas conversas, pois logo logo irá cobrar por alguma coisa que disse a ti.

É o melhor método que pode fazer para o seu negócio para não ter a necessidade de ser cobrado, ou seja, surpreenda o cliente.

O cliente pediu alguma coisa, entrega algo a mais e não escutará o lado ruim da história por conseguir surpreendê-lo.

Ele diz através dos posts, storys, mas a melhor maneira de ouvi-lo é conversando pessoalmente, então dedique um tempo para isso.

Esse feedback levará a sua carreira de fotógrafo ao outro nível.

Segundo erro que muitos cometem é não dominar a luz. Cara, a luz é a principal matéria-prima na fotografia.

Se a fotografia fosse um produto específico, seria impossível construir esse produto sem luz, então quanto melhor a luz, melhor a chance de ter um bom retrato.

Quanto melhor a luz do meu trabalho, melhor a minha fotografia.

Então o princípio da fotografia: luz. O grande passo: fotografar não é escrever com a luz?

Então preciso de luz para fotografar. Muitos fotógrafos, cara, negligenciam a luz e eu acho isso quase um pecado fotográfico (perdão pelo termo).

Por que? Porque a luz ela é MUITO importante. Tem fotógrafo que diz “Bruno, mas o importante é o momento”.

Tá, e quando estou fotografando um produto? E quando estou fazendo um retrato? Cadê o momento nessa história toda?

O importante é a luz mesmo que tenho um momento bom, se eu tiver em uma luz muito ruim, talvez não saiba captar esse momento direito.

Ou talvez não consigo mostrar esse momento com excelência, então o que será feito?

Terá que dominar a luz, cara, estude a iluminação. Não é fazer um curso de flash, entende isso.

Quando refiro a iluminação, não é flash, até porque tenho uma direção fotográfica nesse cenário do vídeo.

Eu me posiciono de acordo com a luz para uma ótima fotografia ou vídeo. Muitos confudem estudar iluminação com estudar o flash.

O flash é uma das ferramentas que o fotógrafo tem na luz, mas você como fotógrafo precisa dominá-la.

Que luz é essa? É a luz do dia, natural, artificial, do flash, led, vela, farol do carro, lâmpada do poste… domine a iluminação.

E o terceiro grande erro que percebo é não vender fotos extras.

Cara, quando aprendi a vender foto extra, o meu negócio virou, mudou quando parei de vender ensaio fechado e comecei a vender ensaio por foto.

“Mas Bruno, você não faz nenhum tipo de ensaio fechado?”, sim, é claro que faço, mas mesmo no trabalho fechado, tenho um limite de foto porque o meu objetivo nos ensaios também é vender foto extra.

Por que aprendi? Pois o comércio trabalha com venda extra, prestação de serviço é extra.

Supondo que contrate um torneiro mecânico e que te cobra por serviço (por tempo de serviço), mas se você pedir para comprar peças, ele vai te fazer comprar as peças dele e vender peças extras.

Se já trabalhou em algum comércio que tinha 8 horas de trabalho diário, por exemplo, essas 44 horas semanais, quando você ficava mais tempo no trabalho, recebia por hora extra.

Se vai ao mercado comprar 200 gramas de presunto Sadia e o açougueiro/rapaz da padaria te dá 230 gramas, pagará pelo extra, tá bom?

O extra já é um comum, mas muitos fotógrafos pensam na quantidade ao invés da qualidade.

Por que que meu negócio mudou quando comecei a vender foto extra? Primeiro ponto, o cliente só recebia o que ele pagava.

Segundo ponto, tenho que dar muito mais atenção a minha fotografia na hora de clicar, na edição e na apresentação.

Por que? Porque quero que meu cliente compre mais.

Essas foram as 3 dicas úteis para vocês fotógrafos que estão começando a carreira da fotografia, tornar-se um fotógrafo de valor e quer viver bem nessa área.

Dicas tão valiosas que muitos ainda não perceberam os seus valores.

E se você quer fazer parte dessa jornada, clique aqui e entre agora para o Fotógrafo de Valor.

Grande abraço e Deus te abençoe!

📸 Por Bruno Guedes | Fotógrafo e gestor da FLUXOPRO ®
Aprenda como ganhar dinheiro na fotografia

www.fluxopro.com